18 agosto, 2006

No rasto do fogo

Nelson d`Aires, Contra-Fogo, 2005


Nelson d`Aires, Contra-Fogo, 2005


Seguir o rasto dos incêndios florestais não é difícil. A força com que alteram e devastam paisagens é tudo menos subtil. É uma força exibicionista que se pode sentir, cheirar, ouvir e ver ao longe. De muito longe. Há gritos de sirenes, serpentes obesas de fumo, pânico nos rostos de quem proteje. Há cansaço nos rostos de quem combate, de quem luta em desigualdade contra as labaredas. Foi para tentar mostrar uma faceta diferente dessa força que Nelson d`Aires decidiu, há um ano, seguir o som das sirenes, chegar perto das colunas de fumo. Durante as duas últimas semanas de Agosto de 2005, percorreu perto de três mil quilómetros, fotografou incêndios no Norte e Centro do país. Dessa atracção pelas chamas resultou o ensaio Contra-Fogo, distinguido em Julho com o Prémio Novos Talentos Fnac. O trabalho está dividido em duas partes, noite e dia, que revelam facetas diferentes deste ritual de incandescência todos os anos cumprido. No meio do frenesim e do pânico colectivos em que se desenrolam os incêndios, Nelson quis apanhar o que está para além do facto. Quis perceber o que fica depois da devastação. O que foi o combate nos "bastidores", que expressões e comportamentos provocou.
Nelson d`Aires, de 31 anos, começou a fotografar em 2002. Depois de ter feito Contra-Fogo decidiu dedicar-se a tempo inteiro à fotografia.
Para além deste porfolio foram ainda distribuídas menções especiais a Teresa Sá (conjunto de imagens sem título) e a Ivo Dias de Sousa/João Paulo Aça, por Slobodj.
O juri que escolheu os trabalhos vencedores da edição deste ano do prémio integrava Tereza Siza (CPF), Fátima Marques Pereira (professora), Rita Carmo (fotógrafa), António Pedro Ferreira (fotógrafo) e David Clifford (fotógrafo).

2005: 8.086 incêndios; 325.226 hectares de área ardida; 525.000.000 euros de prejuízo; 16 mortos.

Fonte: Associação Florestal de Portugal



Nelson d`Aires, Contra-Fogo, 2005


Nelson d`Aires, Contra-Fogo, 2005

4 comentários:

Gilberto Silva disse...

A fotografia é a mais completa e pura das mensagens.

Armindo de Jesus disse...

"Nelson quis apanhar o que está para além do facto"...e conseguiu.

nikon disse...

muito bom. expressivas!!!!

Isis disse...

estão potentes: as imagens que acompanham as palavras!

 
free web page hit counter