01 março, 2008

bombons de Capa

Robert Capa, Teruel, Espanha, Janeiro de 1938
(© Cornell Capa/Magnum Photos)

Há uma verde, uma vermelha e uma bege.
Diz quem já esteve perto delas que bem podiam ter sido caixas de bombons. Talvez por causa dos quadradinhos como que a separar formas e sabores.
São três caixas, mas são uma - juntas formam a mala mexicana que antes de ser mexicana foi a mala que o fotógrafo de guerra Robert Capa deixou para trás quando, em 1939, abandonou Paris rumo a Nova Iorque, logo depois dos primeiros disparos que marcaram o início da II Guerra Mundial.
E os quadradinhos não guardam doces. Guardam rolos de negativos de quase 3500 fotografias – quase todas serão inéditas - tomadas durante a Guerra Civil de Espanha, entre 1936 e 1939, não só por Capa, mas também por Gerda Taro, sua companheira de trabalho, de aventura e romance, e David Seymour “Chim”, o trio que contribuiu de forma decisiva para uma nova maneira de dar a ver a guerra, estando dentro dela e não apenas a observá-la.
(...)
O artigo completo publicado na Pública está aqui.

Robert Capa, telefonema para o comando militar, Rio Segre, na frente de Aragão, 7 de Novembro de 1938
(© Cornell Capa/Magnum Photos)

2 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
free web page hit counter