17 dezembro, 2007

a oeste, nada de novo


Sob a batuta do ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, foi lançada recentemente uma campanha que tem como principal objectivo dar uma "nova imagem de Portugal" lá fora. Chama-se Portugal Europe’s West Coast e para além do objectivo generalista já enunciado, a campanha quer atrair "actuais e potenciais visitantes, investidores e compradores de produtos portugueses".
Para tão difícil tarefa convidaram-se oito "talentos nacionais com expressão internacional" que serão relacionados com a ideia de "energias alternativas, área onde Portugal lidera".
Para além dos nove retratados, oito "personalidades" mais Portugal, há outro nome que tem assumido protagonismo: o do retratista. Diz-nos o texto de apresentação que o inglês Nick Knight "é um dos mais conceituados fotógrafos mundiais" e que "através da sua objectiva, o país é captado de uma forma criativa, dinâmica e inovadora".
O trabalho de Knight esteve sempre ligado à moda, à publicidade e à música. É comum ver fotografias suas em capas de discos e em revistas de moda internacionais. Já teve exposições no Victoria & Albert Museum e na Saatchi Gallery. Em 2000 lançou o projecto SHOWstudio.com, uma plataforma online onde é possível seguir o seu trabalho ao vivo.
A escolha de Nick Knight tem provocado algumas reacções negativas. Há quem fale do valor que cobra por cada fotografia final, há quem critique os truques de Photoshop, há quem aponte o facto de ser um inglês a promover Portugal e há também quem aponte a falta de aposta nos fotógrafos portugueses.
Recibos de pagamento e certidões de nacionalidade à parte, estas imagens de Nick Knight são bacocas e não fazem jus ao brilhantismo pelo qual foi contratado. Vender um país pela imagem não é bem a mesma coisa que vender malas da Yves Saint Laurent ou mostrar a Björk na capa de um CD.
Quem olha para estas sobreposições de retratos com paisagens do país “mais Ocidental da Europa” não vê (eu pelo menos não vejo) projectadas a “criatividade”, o “dinamismo” e a “inovação” que tanto se quer publicitar. O que se vê são rostos, entre o sensual e o sisudo, em osmose com os mais batidos postais ilustrados deste país – as praias, o sol, a luz, a areia e o Atlântico. E depois, duas paisagens onde isso tudo é condensado e ligado à ideia de energias renováveis, como se Portugal fosse mesmo um exemplo a potenciar de forma racional os seus recursos naturais e a inovar em energias alternativas.
Para ver todas as imagens da campanha clique aqui.
Para saber mais sobre o trabalho de Nick Knight clique aqui.

17 comentários:

tiago disse...

penso que a primeira ligação tem um erro. pelo menos eu não consigo abrir.

continuação de bom trabalho.

andreia oliveira disse...

Também não consigo abrir. Se puder corrigir Sérgio, eu agradecia pois tenho imensa curiosidade em ver se as restantes fotografias da campanha são mais interessantes do que as que para já nos mostrou.
Obrigada,
Andreia

António Correia disse...

O link também não funciona comigo.

Pena que não tivesse sido um fotografo Português em vez de um Inglês ainda por cima.

As fotos são de facto banais.

Eu ousaría dizer que isto até eu fazia ! LOL

Tomé Duarte disse...

As paisagens são realmente banais mas duvido que sejam da autoria do referido fotógrafo, e os retratos em si não podemos julgar uma vez que foram esquartejados pelo "design".

Se o homem fotografa malas Yves Saint Laurent ou capas da Björk, é esse estilo que quem o contrata deve esperar... A culpa do resultado desastroso parece-me mais de quem contratou e (des)coordenou do que de que executou.

Na verdade, conhecendo a história completa todo este trabalho ilustra na perfeição o país que não pretendia ilustrar!

nelson d'aires disse...

posso estar a perder por escrever, mas o que eu sei é que foi a agência BBDO (Lisboa) que ganhou o concurso para a execução desta campanha. como tal, penso eu, a responsável pela contratação do fotógrafo é a BBDO e não o governo português. será que era dever do governo especificar no caderno de encargos do concurso que o fotógrafo tinha de ser português? acho que não. contudo, este facto não iliba o resultado desta campanha (que pude ver no pdf disponível em www.turismodeportugal.pt), o produto resultante, que na minha opinião fica abaixo das potencialidades da BBDO. e sim, a BBDO poderia ter contratado fotógrafos portugueses, para aquele resultado e para outros diferentes também. no fundo o Nick é que o ganhou e é dele que se fala, bem ou mal, lá fica falado mais um pouco e também mais conta bancária.

Sérgio B. Gomes disse...

Ops. Havia um erro no link. Agora sim, já está a funcionar.

M0rph3u disse...

Acho que continua a haver um problema qualquer com o link, contudo basta seguir o link presente na pagina principal do Turismo de Portugal ( http://www.turismodeportugal.pt ).
Relativamente 'a polemica sobre a escolha do fotografo, e' normal que dada a falta de oportunidade dos fotografos portugueses em poderem mostrar o seu trabalho, que uma situacao destas pudesse acontecer.
Penso que talvez va' ser mais uma das vozes criticas.
Penso que em Portugal ha' fotografos 'a altura para criar imagens destas e sem tanto recurso a formas digitais.
Mas agora esta' feito e pouco mais se pode fazer.
Talvez o envio macico de emails para o Ministerio da Economia, como uma falha deste em relacao 'a populacao devesse ser exprimida.
O governo perdeu uma boa oportunidade para usar o melhor que temos para promover o aparecimento de novos fotografos (ou a confirmacao de outros ja' consagrados), no panorama nacional.
Penso que um concurso a nivel europeu (ou mesmo internacional) teria sido muito mais mediatico que contratar um fotografo profissional.
Teria-se poupado nos custos e provavelmente aumentado as receitas em turismo.
Nao desgosto das imagens embora o design seja um pouco discutivel.
O facto de serem banais e' talvez porque nos estamos cansados de as ver. Para um norte-americano ou um cidadao de outro pais poderao ser apelativas e mesmo exoticas.

Sérgio B. Gomes disse...

Penso que o link não entra como deve ser porque o url é demasiado longo. Mas, tal como m0rph3 diz, basta clicar na palavra "campanha" no site do Turismo de Portugal (http://www.turismodeportugal.pt)para ver as outras imagens.

evatrai craft design © disse...

Caro Sérgio, como apreciadora de fotografia completamente não-profissional e como profissional de comunicação, concordo com as opiniões que expressa e acrescentei algumas no blogue do nosso colectivo de design de comunicação, que têm mais a ver com o conceito por detrás da campanha. Acho também que o resultado do investimento efectuado fica aquém daquilo a que a BBDO nos habituou. Lamento esta oportunidade perdida para Portugal e para os fotógrafos portugueses. Numa campanha tão assente na imagem fotográfica, considero lamentável que não se tivesse recorrido a um fotógrafo nacional, sabendo que existem com unhas suficientes para tocar esta guitarra. Isabel Valente

Anónimo disse...

Bem,vou levantar poeira..lá vai: então se há quem faça melhor por cá onde está? Se calhar não basta ser bom a fazer bonecos, também é preciso saber vendê-los! E já agora
qual é o problema do recurso ao photoshop? Deve ser o mesmo problema que antes houve quando se começou a usar a cor, ou ainda quando se começou a usar o filme! Sim, que em placas de vidro é que se fotografa....Guto

nana disse...

Penso que o gabinete do Sr. Ministro poderia ter encaminhado este trabalho para um grupo de fotógrafos portugueses consagrados, deste modo distribuiria as verbas por vários profissionais portugueses, eram verbas que ficariam em território nacional, verbas que passariam o Natal em Portugal em vez de Inglaterra.
Ainda não consegui ver as famosas fotografias pois, mesmo no site de Turismo, a coisa não abre. Em todo o caso, pelo que já vi, o Nick Knight não foi, talvez, a melhor escolha, para este tipo de campanha. Temos, sem dúvida, em Portugal, fotógrafos que fariam este trabalho com a mesma ou mais qualidade.
Ouvi falar em 750.000 €, se isto é verdade, daria para alegrar imenso o Natal de, pelo menos 8 fotógrafos portugueses.
Se a mentalidade e a consciencia de classe dos portugueses não se regesse por 2 sentimentos mesquinhos como a Inveja e a Ganancia, havia uma forma de combater este episódio triste e de chamar a atenção para mais episódios destas tristes novelas nacionais. Bastaria que os fotógrafos nacionais e residentes em Portugal boicotassem a BBDO, não aceitando trabalhos encomendados por esta agencia. O que acontece é que, quando o "budget" é baixo, contratam portugueses, quando é alto, vêm estrangeiros, independentemente da qualidade. Há pessoas que ainda estão muito afectadas pelo fenómeno do "estrangeirismo"...como dizia o Jorge Palma, "Ai Portugal, Portugal..."

Nanã Sousa Dias

Anónimo disse...

Vi as fotos pela primeira vez projectadas na Casa da Música (Porto), ainda se acertavam as dimensões e os formatos.
Na minha opinião, as fotos cumprem os objectivos: são simples e eficazes, associando as nossas mais belas paisagens a alguns dos nossos vultos com expressão internacional.
Poderão não gostar do resultado, mas da premissa ninguém se pode queixar: há algum fotógrafo português que chegue aos pés do Nick Knight? Não, não há. Nunca houve e não se vislumbram esperanças. Falo de mestria, não do estilo.
E não, não tenho nada contra o Photoshop, desde que se criem imagens como as que cria Nick Knight. Um instrumento, por si só, não tem qualquer valor.

Sofia Silva disse...

Ia deixar uma resposta a este último comentário do Sr. Anónimo, mas até me faltam as palavras... é que face a tamanha ignorância, escasseam os argumentos. Ao menos que explique o que entende por qualidade, ou por esse tão nobre conceito de "mestria"... Entretanto vou deixar um apelo ao Sr. Anónimo, vá ver umas exposições de fotografia, daquelas onde estão lado a lado fotografias de autores portugueses com os aclamados fotógrafos estrangeiros e depois tente justificar isso que diz que em Portugal não se vislumbram esperanças...

carlos palmeiro disse...

Concordo, em absoluto... o que você escreve neste poste – e muito bem – é o que muita gente pensa... a campanha não reflecte o que é anunciado como pretendido pelos responsáveis políticos, e não transmite de facto, longe disso, o sentimento que, segundo o tema, se ambiciona... porventura, pelo mesmo valor, qualquer coisa como 350.000,00 euros, fotógrafos portugueses (um ou vários…) teriam feito um trabalho muitíssimo melhor, tenho a certeza… promoção publicitária recorrendo a fotógrafos como o requisitado, não me diz muito, tenho sérias dúvidas se dirá aos nossos potenciais visitantes… abraço.

Mário Cameira disse...

Parece-me paradoxal que se use um fotógrafo inglês para se promover Portugal.
Existem muitos e bons fotógrafos em Portugal.
Apesar de ser um fotógrafo muito famoso, agora é que vai ser realmente famoso, e até fora do mundo da fotografia. O nome do fotógrafo nos cartazes é maior que o da personalidade que promove Portugal.
A ideia do Bidarra da "West Coast of Europe", da provocatória mudança da bandeira, etc, que o senhor defende há algum tempo até é boa, a concretização é que me parece provinciana. Gostava de ouvir explicações da BBDO e do Ministério de Economia.
Photoshop e dezainete à parte, os retratos não são grande coisa.
Do fotógrafos Pedro Cláudio ao João Tabarra e dos designers Jorge Silva e Cayate aos da moda, existem muitas alternativas ao trabalho medíocre espalhado que foi espalhado por aí.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
free web page hit counter