31 janeiro, 2007

luz

© Désirée Dolron, Xteriors VIII

Passava os olhos por entre imagens que fizeram a história do último Mois de La Photo de Paris e fixei-me neste corpo prostrado, espécie de anjo de cabelos de fogo que encontrou o fim. Há nele uma luz que mente. Em que não acreditamos. E ainda bem. É essa luz pastosa que sai do escuro e se apodera das formas tornando-as quase impossíveis. E ainda bem. É uma luz representada e é por ela que vive a figuração. É dada como quem pinta. E ainda bem.
Désirée Dolron mostrou esta e outras imagens no Institut Néerlandais no final do ano passado. Exaltation, Gaze, Xteriors são o resultado de mais 15 anos de trabalho. Em Exaltation há uma visão documental sobre o sagrado, o misticismo e experiências religiosas várias do continente asiático. Em Gaze, Dolron segue pela via conceptual explorando as possibilidades do retrato em ambientes etérios. Na série Xteriors, a mais recente, explora meticulosamente as possibilidades da luz, primeiro com a fotografia, depois com a manipulação digital. A inspiração vem do claro-escuro e do ambiente “segredo” da pintura de Johannes Vermeer.


© Désirée Dolron, Xteriors X

3 comentários:

João disse...

Este blog é fabuloso. Vajo-o quase todos os dias. Estranho ser este o primeiro comentário... acho que me sinto a entrar num museu onde estão obras de arte que é suposto ver e não tocar :-)

Estas fotos são magníficas.

João disse...

lol... era VEJO-O.

Sérgio B. Gomes disse...

Obrigado João.
Escreva sempre.

 
free web page hit counter