18 outubro, 2006

quase morte . morte


Heiner Schmitz, 19 de Novembro de 2003 (Walter Schels)

À volta da água, garante de vida, as imagens de morte. De um lado as de morte, do outro as de quase morte. Mudam os rostos, as rugas, os cabelos, a aura. Os olhos desviam-se mais para os olhos, ainda vivos. Não era preciso a imagem da morte, para sabermos que ela está lá, no olhar, quase morto.


Heiner Schmitz, 14 de Dezembro de 2003 (Walter Schels)


Amor-te (Walter Schels, fotografias. Beate Lakotta, texto)
Museu da Água - Mãe d`Água das Amoreiras
Das 10h00 às 18h00
Até 28 de Outubro

3 comentários:

Francisco Rocha disse...

Então sr Sérgio, o sr acha que é assim que se escreve "saber-mos"!Ora pensa lá bem!Mas eu percebo, foi a asia das salsichas alemãs!eheh!
Fica bem, um abraço!
P.S-Belas fotografias e excelente comentário/descrição!!

Sérgio B. Gomes disse...

Tem razão o sr. Francisco. Que calinada! A sorte deste blog é ter leitores sempre tão atentos. Ficam logo com AZIA ao mínimo deslize gramatical. É compreensível. A língua portuguesa merece ser bem tratada. A lucidez é que nem sempre está a cem por cento. Obrigado pela correcção.
Escreva sempre, sr. Francisco.
Um abraço

Mythe disse...

Fabulosa e imperdivel ponto

 
free web page hit counter