12 maio, 2006

Victor Palla (1922–2006)

Exemplar do livro Lisboa, Cidade Triste e Alegre

Morreu Victor Palla. Considerado um dos modernizadores da arquitectura portuguesa (escola primária de Vale Escuro; restaurante Galeto), Palla, com 84 anos, deixou também a sua marca na história da fotografia portuguesa num raro trabalho a dois com o também arquitecto Costa Martins (1922-1996). Desta associação osmótica resultou o projecto Lisboa, Cidade Triste e Alegre (1959), com imagens tiradas pela dupla desde 1956 e mostradas em duas exposições na Galeria Diário de Notícias (Lisboa) e na Divulgação (Porto), em 1958.
O resultado “é uma surpreendente variedade inconformista de fotografias apaixonadas pelos quotidianos paralelos da cidade e da própria fotografia: desde a festa do registo até aos atrevimentos da impressão, passando pelas incertezas da revelação” (António Sena).
Para Lisboa, Cidade Triste e Alegre Costa Martins/Victor Palla escolheram 200 fotografias entre cerca de seis mil, a maior parte das quais captadas em Alfama e no Bairro Alto. A acompanhar as imagens - que nunca são referenciadas como pertencendo a um ou a outro fotógrafo - há excertos de poemas de autores portugueses. Durante muito tempo o livro foi votado à indiferença. Hoje, é uma obra difícil de encontrar e classificada como “uma das realizações editoriais mais significativas do seu tempo” (Alexandre Pomar).
O Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian organizou uma retrospectiva da obra fotográfica de Vítor Palla em 1992.
Em 1999, Palla foi reconhecido com o Prémio Nacional de Fotografia, atribuído pelo Centro Português de Fotografia.
Algumas obras da dupla Costa Martins/Victor Palla podem ser vistas actualmente na exposição Em Foco patente no Museu da Cidade.

3 comentários:

 
free web page hit counter