09 junho, 2010

PHE10 - notas #1

Helen Levitt, Nova Iorque, 1940


# Chove, está frio em Madrid. O cheiro da terra molhada no Jardim Botánico compensou a barulheira dentro das salas onde estão os trabalhos de Bleda y Rosa e de Jem Southam.

# A exposição de Óscar Muñoz no Circulo de Bellas Artes (CBA) mostra como pode ser efémera a imagem. E como a memória é uma faculdade que convém exercitar.

# Os do El Brillante puseram no meio da tasca um bocadillo de calamares do tamanho de gente. É só para que fique bem claro que é ali que se come o melhor bocadillo de calamares de Madrid. E era preciso? Não.

# Fernando Sánchez Castilllo quis registar pessoas a tocar nas estátuas equestres de Franco que se retiraram das ruas de muitas localidades e cidades espanholas. Deu-se mal. A maior parte das instituições que ainda guardam este tesourinho deprimente não lhe abriram as portas do refugo onde Franco está encarcerado.

# O mestre László Moholy-Nagy reina no CBA. A exposição revela na perfeição como era um artista total.

# Este ano, a fita não foi cortada pelo realeza do topo. Mas enviaram reforços.

# Os Amores Difíciles da argentina Adriana Lestido são uma das boas surpresas do festival. Mais de 30 anos de trabalho resumidos em pequenos conjuntos que mostram bem como podem ser intrincadas as relações humanas.

# No sempre magnífico e singular espaço do Canal Isabel II, Isabel Muñoz põe-nos à prova com imagens violentas que testemunham um cerimonial religioso do Curdistão.

# O mundo que Helen Levitt fotografou nas ruas de Nova Iorque (sobretudo na década de 40) desapareceu. Como desapareceu o tipo de prática fotográfica com que se divertia a registar o divertimento dos mais novos.

3 comentários:

Anónimo disse...

Gosto deste subtil toque pessoal intrincado no discurso informativo. O mesmo para o post anterior. Este finíssimo fio quase literatura, quase fotografia, quase ( não sei como dizer).Fica-se com a sensação de quem encontra clareiras numa floresta...É como esburacar uma sombrinha e deixar que um raio de sol ou de chuva passem. Mas é muito, muito ténue e escapa muitas vezes.

Javalí Rubio disse...

Que blog fantástico para quem ama a fotografia!!! Parabéns!!!
Visitem também este blog português relacionado com a aviação e a Fotografia Aérea de Portugal:
Terceira Dimensão - Fotografia Aérea Portugal
Obrigado

aannaa disse...

True, the literature fused with the photography offers a new sense, atmosphere if you like to an article about art and to an exhibition.
I really like photography exhibitions that include relevant texts and audio installations.
This year in PHe 2010 I have liked how all arts were represented in a certain way together with photography

 
free web page hit counter