08 junho, 2007

debater

© Erwin Wurm, Leopoldstadt, sem título, 2005


Como compreender a força que a imagem fotográfica detém no contexto alargado das imagens artísticas na contemporaneidade?

Qual a capacidade da fotografia em construir um discurso crítico sobre o real?

Será pertinente estabelecer fronteiras entre diversas tipologias, entre práticas ancoradas na tradição especificamente fotográfica e aquelas que derivam essencialmente do seu uso enquanto documento complementar a pressupostos criativos conceptuais?

Estas perguntas são o ponto de partida para a conferência Manipulação, encenação, documentalismo e banalidade nas práticas fotográficas contemporâneas que Miguel von Haffe Pérez está a preparar para ciclo FotografiaeArte, uma iniciativa do Instituto Português de Fotografia.
Haffe Pérez é crítico de arte e comissário de exposições. É também colaborador da revista austríaca springerin e responsável pelo projecto Anamnese, da Fundação Ilídio Pinho. Nesta instituição integra o Conselho das Artes que está a constituir uma colecção de arte contemporânea portuguesa.

EncontrosdoOlhar - FotografiaeArte
Manipulação, encenação, documentalismo e banalidade nas práticas fotográficas contemporâneas
Por Miguel von Hafe Pérez
Instituto Português de Fotografia
R. da Vitória, 129, Porto
Tel.: 223326875
Email: ipf.porto@ipf.pt
13 de Junho, 21h30

1 comentário:

sara disse...

que pena nao ser em Lisboa :(

 
free web page hit counter