19 fevereiro, 2007

*Três perguntas a...

© Susanne Themlitz, da série
Territórios e Estagnações Ambulatórias, 2006

Susanne S. D. Themlitz. Artista plástica lisboeta, de 38 anos. Vive e trabalha entre Lisboa e Colónia, na Alemanha. Tem formação de base de escultura e desenho (Ar.Co). À semelhança de Vasco Araújo, é uma das artistas seleccionadas para a fase final do Prémio Bes Photo que usa o suporte fotográfico em projectos não exclusivamente fotográficos (instalação, pintura). Extroversão (Agência Vera Cortês) foi a mostra que convenceu o júri a incluí-la na edição deste ano do prémio.

¿Por que é que misturas tintas com sais de prata?
Uma pergunta culinária... Metemos farinha nos crepes, alho nos bifes e sal nas batatas. Mas para chegar à resposta, o assunto parece-me menos culinário e mais existencial. Terra para o trigo, vacas para os bifes e água para as batatas, e muita outra coisa... para a série dos Errantes (entre também muita outra coisa) - tinta.

¿Dizes: Quando me vejo nos espelhos à volta, o tempo não anda, enquanto a imagem reflectida continua a crescer. A imagem do real já ultrapassou definitivamente a percepção que temos do real?
Não sou eu quem fala nos espelhos e na imagem reflectida. Escrevi sim o texto para o catálogo que funciona como peça: No Laboratório Introspectivo há duas pessoas a conversarem - Uma e Outrem. Acho que nem Uma nem Outrem se referem à ideia que a realidade é um carro na auto-estrada que pode ser ultrapassado (para usar a tua expressão) ou que ultrapassa outros que vão a passo de caracol. Trata-se menos de uma corrida, mas mais de raciocínios e de ligações sinápticas.

¿Os lugares-fábula oníricos e desconcertantes que nos dás a ver continuam a interessar-te? Para onde nos leva a seguir a tua imaginação?
Não faço ideia.

2 comentários:

QUIM disse...

É muito estranho, ou talvez não, que uma artista não faça a mínima ideia do que faz, do que pretende e para onde vai....
É uma atitude muito comum e muito aclamada e acarinhada relativamente aos artistas plásticos..
Ainda bem que não o é relativamente aos engenheiros civis ou aos motoristas de taxi..

os meus cumprimentos

Joaquim Castilho

Anónimo disse...

Eu gostaria de ver se num concurso de pintura aparecessem fotógrafos a concurrer com umas telas maradas, folhas de papel cavalinho cheias de óleo, ou desenhos a carvão perfurados com balas de caçadeira...estúpido, não é? Pois é o que acontece com o BESPHOTO: artistas plásticos, pintores, escultores e o diabo a quatro, armados em fotógrafos (maus, muitas vezes não sabem sequer o mais básico de fotografia)e com projectos que não lembram ao diabo! O ano passado o vencedor (desculpem, não me lembro do nome, não é fotógrafo)nem sequer era o autor das fotos expostas!!! Afinal o que vem a ser isto? Estão a gozar com a malta, só pode ser! O BES que gaste o dinheiro como quiser (uma parte é meu pq tenho lá conta..)mas tenha a ombridade e humildade de chamar ao Prémio "Bes Artes" ou qualquer cena do género!! Tirem de lá o termo fotografia, é o mínimo que pedimos aos senhores administradores do BES! Sabem que, inclusivé, no júri não houve até agora um fotógrafo sequer? Só curadores de museus, criticos de artes, etc.. Com o dinheiro que o BES tem mais valia aplicar a sério num prémio de FOTOGRAFIA!

 
free web page hit counter